Toda atividade física gera um risco de impacto em nossos dentes, seja por uma queda ou mesmo agressão direta por um objeto (bola, golpe, raquete, etc). Em uma Olimpíada, onde os atletas estão no ápice dos resultados e treinos intensos, esse risco é ainda maior.

luta-olimpiada

Jaoude exibe seu dente fraturado durante a luta.

Na seletiva para as Olímpiadas do Rio de Janeiro este ano, o lutador de luta greco-romana brasileiro Antoine Jaoude quebrou o dente central após bate-lo acidentalmente no ombro de seu oponente.

“Esportes de luta, onde o contato físico é direto , apresentam um risco ainda maior para os dentes. Por isso sempre sugerimos um protetor bucal. Esta peça envolve dentes e gengiva e absorve os golpes, distribuindo a força para todo o conjunto e não apenas para um ou dois dentes”, comenta o dentista dr. Wolber Campos.

Nas Olimpíadas de Londres, em 2012, o judoca brasileiro Felipe Kitadai venceu a disputa da medalha de bronze e só depois percebeu que havia quebrado um dente durante a luta. “Nem vi como isso aconteceu, estava muito compenetrado”, disse o atleta.

Estamos acostumados a ver o protetor nas lutas de boxe porém mesmo esportes menos preocupantes com golpes, como futebol, vôlei, tênis, ginástica, atletismo, causam risco de impacto aos dentes.

Outra curiosidade interessante das Olimpíadas é a famosa foto dos atletas mordendo as medalhas após a premiação. Hoje é algo pedido pelos fotógrafos aos atletas e remonta ao costume antigo onde as pessoas checavam as moedas de ouro, mordendo, para ter certeza se eram puras. O ouro deixa uma pequena marca da mordida, já falsificações podem deixar nenhuma ou serem muito moles.

medalha

O alemão Möller durante a foto em que fraturou seu dente. Caso a preferência seja morder de verdade, usar os pré-molares e molares diminui um pouco a chance de fratura. :)

Apenas é interessante lembrar de moderar a empolgação durante este belo registro, o que não foi o caso do alemão David Möller, nos Jogos Olímpicos de inverno, no Canadá, em 2010.  Após ganhar a medalha de prata, acabou exagerando na força e quebrou o dente superior (incisivo). Graças ao dentista que viajava com a delegação arrumou o problema rapidamente.

Independente dos cuidados (ou não, rs!) com os dentes, nas competições olímpicas estaremos prestes a observar os mais belos momentos: os verdadeiros sorrisos de felicidades exibidos por pessoas que dedicaram anos e mais anos de suas vidas em treinos extremos, longe das vistas de todos, e agora transformam toda a tensão guardada em um sorriso puro e sincero.

Imagens: Globo.com